Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

California Dreamin'


João Fonte Santa
Stolen Books, Lisboa

estrela-lágrima


Inês Brites
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

Língua de areia


Gonçalo Sena
Galeria Filomena Soares, Lisboa

Do Labirinto ósseo do homem ao eixo do Rochedo


Marcelo Moscheta
Museu de História Natural e da Ciência, Lisboa

ANAGRAMAS IMPROVÁVEIS. OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES. & C.A.S.A. COLEÇÃO ÁLVARO SIZA, ARQUIVO


COLECTIVA
Ala Álvaro Siza, Porto

Terra Estreita


COLECTIVA
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

a pele da água


Pedro Tudela e Zés Pereiras
VNBM – arte contemporânea, Viseu

QUID


Isabel Sabino
Centro Cultural de Cascais, Cascais

Álbum de Família


COLECTIVA
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

Mirror Drumming


João Biscainho
Appleton Square , Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


JOSÉ DE CARVALHO E PETER HALLEY

INTERSECTIO




FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA - CENTRO DE ARTE E CULTURA
Largo do Conde de Vila Flor
7000-804 ÉVORA

28 JAN - 19 MAR 2023


INAUGURAÇÃO: 28 de Janeiro na Fundação Eugénio de Almeida - Centro de Cultura e Arte, Évora

Curadoria: José Alberto Ferreira e João Sameiro



:::


Na arte como na vida, há caminhos que se cruzam, obras que se encontram, saberes e fazeres que se contaminam. Há afinidades que poderíamos chamar vicinais, pertencentes ao plano da forma, ou dos materiais, ou das técnicas, ou dos temas, tão imotivadas como a relação entre o som e o sentido, tão imponderáveis como uma intersecção entre duas vidas que acontecerem em geografias distantes, e distantes permaneceram.

Intersectio instala-se nesse ponto mínimo de contacto vicinal e explora as relações imotivadas e improváveis entre obras de artistas da coleção de arte contemporânea do Montepio Geral - Associação Mutualista e obras de artistas eborenses pertencentes ao acervo da Fundação Eugénio de Almeida. Sob a forma de diálogo, apresentam-se três projetos expositivos nos quais, sucessivamente, a plasticidade rugosa do eborense José de Carvalho se confronta com as redes geométricas de Peter Halley (#1). António Charrua interpela cromaticamente Pedro Cabrita Reis (#2), e o Palolo das cores pop dos anos 70 revisita uma sua criação de juventude (#3). Em cada um destes pontos de intersecção estabelecem-se conexões inesperadas, emergem relações porosas e abrem-se aos estímulos múltiplos vasos comunicantes. cruzam-se aqui também duas instituições, a coleção do Montepio Geral - Associação Mutualista e a Fundação Eugénio de Almeida, a comemorar em 2023 os seus sessenta anos. Aos visitantes, deixamos o desafio para que faça também seus estes cruzamentos, intersecções e descobertas.